Poupar hoje – a pensar no futuro dos filhos.

Poupar hoje, a pensar no futuro dos filhos

Equilibrar as finanças pessoais pode ser um desafio para qualquer família, ainda mais quando se pensa no futuro dos filhos. Veja as dicas que tenho para partilhar consigo.

Mesmo que os seus filhos ainda sejam bebés ou crianças, começo por lhe dizer que nunca é demasiado cedo para começar a poupar para o futuro dos filhos. Afinal se há algo que temos aprendido nos últimos tempos de incerteza é que tudo pode realmente mudar muito e rapidamente. E aí, quem está mais bem preparado tem mais probabilidades de aguentar em períodos difíceis.

Por isso, pensar no futuro dos filhos e querer criar uma almofada financeira confortável seja para ajudá-los em várias situações, como por exemplo pagar os estudos, criar um negócio ou até comprar casa, é algo que pode começar a fazer já hoje. E isso passa, igualmente, pelo modo como educa os mais novos do ponto de vista financeiro.

Sim, porque a educação das crianças deve sempre comportar também este campo, por mais aborrecido que muitos possam achar ou até por ser um assunto que é só para os “mais crescidos”.

E poderá fazê-lo de forma tão natural e simples como começar por lhe atribuir uma semana ou mesada, de modo a que a criança comece a gerir o seu próprio dinheiro e seja incentivada a alcançar objetivos. Por exemplo: imagine que o seu filho lhe pede um novo jogo para a Playstation. A sua reposta provavelmente será um não, porém, poderá explicar-lhe que ele próprio poderá poupar dinheiro para efetuar essa compra que lhe parece tão importante. Assim, a definição de objetivos é um passo importante para começar a perceber o valor real do dinheiro.

Nunca é demasiado cedo para pensar num futuro seguro

Mas se continua a achar que o futuro ainda é longínquo, mostro-lhe dois truques simples de implementar e que vão ajudar a desconstruir qualquer ideia que tenha.

1. Comece a poupar quanto antes

Como já referi, nunca é demasiado cedo para começar a poupar, mesmo para o futuro dos filhos. Quando mais cedo, melhor, até porque haverá, seguramente momentos mais complicados, em que a poupança poderá não acontecer da forma como idealizou.

Pelo que, quanto mais cedo, mais tempo tem para amealhar, mas não só. Tal também significa que o valor a poupar mensalmente será mais baixo do que se começar a poupar, por exemplo, quando os seus filhos tiverem 10 anos.

Por isso, por que não começar a fazê-lo desde a nascença?

2. Aplique a regra dos 5%

Colocar de parte todos os meses 5% do rendimento familiar para os seus filhos é um valor perfeitamente aceitável e simpático. Ao fim de alguns anos, terá uma quantia significativa, para salvaguardar as escolhas que os mais novos fizerem.

Veja um exemplo: se o orçamento familiar é de 2.000€ / mês, então, a poupança mensal de 5% corresponde a 100€. Se começar a fazê-lo desde o nascimento, quando o seu filho completar 18 anos, terá um valor reunido de 21.600€.

Então, onde deve investir o seu dinheiro?

Agora que já percebeu a importância da poupança para o futuro dos filhos, coloca-se uma questão importante: onde deve investir o seu dinheiro?

Além dos produtos financeiros bancários, aos quais deve atentar pelas possibilidades oferecidas, tem outras opções, para saber como aplicar o dinheiro. E, para tal, é importante ter em conta determinados fatores, como:

  • Durante quanto tempo tenciona manter a aplicação, até porque criar um capital significativo para o objetivo proposto implica o pensamento a longo prazo;
  • Qual o valor de que dispõe para aplicar;
  • Se irá fazer reforços regulares – algo aconselhável, sendo, assim, a entrega programada a hipótese que lhe vai facilitar a vida;
  • Quais os riscos que está disposto a enfrentar.

Os Certificados de Aforro e os Certificados do Tesouro são alternativas, por exemplo, para ajudar a cumprir com o seu objetivo de amealhar o máximo de dinheiro para o futuro dos seus filhos.

Mas não são as únicas soluções e até podem não ser as melhores.

Já ouviu falar do Seguro Dotal?

Trata-se de uma modalidade de seguro de vida pelo qual se outorga ao menor de idade beneficiário da apólice a garantia de pagamento de um capital numa determinada data, isto é, considera-se uma promessa de pagamento ao beneficiário para uma determinada data.

É uma opção que lhe oferece grande segurança, visto que saberá que o seguro dotal assume a responsabilidade dos compromissos, aconteça o que acontecer. Mesmo em caso de falecimento prematuro do segurado, o seguro permanecerá em vigor até à data do vencimento.

Imagine que subscreve este tipo de seguro tendo como beneficiário o seu filho quando completar 25 anos, mas, infelizmente, morre antes dessa data. Então, a companhia de seguros assegura o pagamento dos valores futuros até que o beneficiário complete essa idade. Nessa altura, ele irá receber a quantidade estipulada no momento da subscrição do seguro.

Independentemente das suas escolhas e possibilidades, saiba que pode contar com a minha experiência para ajudá-lo a tomar as decisões mais acertadas e que o vão ajudar a alcançar os seus objetivos.

Comentar

O quê que a sua relação com o dinheiro diz sobre si?

A forma como tratamos o nosso dinheiro define a vida que temos e como estaremos financeiramente no futuro.
Faça download deste e-book gratuito e descubra como anda sua vida financeira.
EBOOK GRÁTIS
close-link

EMBAIXADORES DA POUPANÇA 

Junte-se ao programa e ganhe dinheiro extra
Quero ser embaixador!
close-link
info@rossanamagalhaes.pt (+351) 963 287 449 Chamada para rede móvel nacional.